• Por
    Em: 31/12/2018 21:55
    O evento será em 11 meses
  • Cadastre-se
    Login
    ?
    usuário ou email:
    senha:
    lembrar-me
    NO AR
    DEPOIS
    Carregando...
    Sem Parar
    com AutoDJ
    6
    Grupo Especial - SP

    Sexta-feira, 9

     

    O primeiro dia do Grupo Especial do carnaval de São Paulo foi cheio de luxo, grandeza e imprevistos. As setes escolas que entraram na avenida foram: Independe Tricolor, Unidos do Peruche, Acadêmicos do Tucuruvi, Mancha Verde, Acadêmicos do Tatuapé, Rosas de Ouro e Tom Maior. Confira os destaques de cada escola nos desfiles: 

     

    Independente Tricolor (23h15)

    Enredo: Luz, Câmera e Terror - Uma Produção Independente.

     

    A escola fez sua estreia no Grupo Especial abrindo o carnaval de São Paulo, fazendo homenagens a filmes de terror e principalmente José Mojica Marins, o Zé do Caixão. Porém, o terror infelizmente acabou voltando para a própria escola, que teve o carro abre-alas rebocado durante todo o desfile, seu eixo foi quebrado e isso fará com que a escola perca 1,2 ponto. E não para por aí, Sheila Mello que pela primeira vez foi madrinha de bateria, teve que remendar a costura de sua fantasia. A escola estava desfalcada sem sua rainha de bateria Helena Soares, que foi internada com um problema no coração. Apesar dos ocorridos o desfile ainda foi muito criativo, as baianas estavam representando noivas do Drácula, enquanto as crianças estavam fantasiadas de Chucky, zumbis, bruxas, vampiros, caveiras e mortos-vivos. Nada foi capaz de parar a festa deles esse ano. 

     

    Unidos do Peruche (00h20)

    Enredo: Peruche Celebra Martinho: 80 anos do Dikamba da Vila, a Unidos do Peruche homenageia Martinho da Vila.

     

    A escola fez uma homenagem aos 80 anos do cantor Martinho da Vila, que faz aniversário segunda-feira (12). Foi a segunda escola a desfilar pelo Grupo Especial em São Paulo, no seu terceiro ano no grupo. Trouxeram para a avenida toda a história do cantor, indo muito além da música. O grande homenageado estava presente no topo do último carro da escola, e foi muito aplaudido. Fizeram também uma ala especial, só com os familiares de Martinho. Além dos grandes nomes da música dentro da avenida, fora também estavam presentes no camarote a cantora Leci Brandão que também saiu em um dos carros da escola. Quem não ficou de fora da curtição no camarote foi Zeca Pagodinho, junto com o talentoso Gilberto Gil, grandes nomes da música brasileira. 

     

    Acadêmicos do Tucuruvi (01h15)

    Enredo: Uma noite no museu. 

     

    A escola que perdeu 90% das fantasias em um incêndio no dia 4 de janeiro conseguiu superar o ocorrido e renascer das cinzas. Após reconstruir boa parte das fantasias em tempo recorde a escola não poderá ser julgada, nem rebaixada esse ano. O desfile trouxe elegância e superação, fez uma viagem pelos museus do mundo, terminando com os que estão localizados no Brasil. A rainha de bateria Daniela Albuquerque prometeu fazer o impossível durante o desfile, e assim fez. As alas das baianas foi a que mais chamou a atenção do público, misturando fantasias que foram salvas com algumas feitas às pressas. Para os Acadêmicos do Tucuruvi só de conseguir entrar na avenida já foi uma grande vitória, prometem inovar e tem grandes expectativas para ano que vem. 

     

    Mancha Verde (02h30)

    Enredo: A Mancha Agradece do Fundo do Nosso Quintal.

     

    A escola que foi criada a partir da torcida organizada do Palmeiras colocou seus 3500 componentes para celebrarem a amizade nas avenidas esse ano. Homenagearam os 40 anos do Fundo de Quintal e fez uma relação entre a amizade e o samba. Os integrantes do Fundo de Quintal estavam presentes no último carro da escola, “O show tem que continuar”. O carro abre-alas fez referência ao bloco Cacique de Ramos, enquanto as baianas se inspiraram em Beth Carvalho. Como de costume a musa e rainha de bateria Viviane Araújo causou polêmica nas redes sociais ao aparecer vestida de índia e foi até acusada de racismo, ela negou as acusações e disse a imprensa: “Minha fantasia tem todo contexto, represento o Cacique. É uma linda homenagem”. 

     

    Acadêmicos do Tatuapé (03h35)

    Enredo: Maranhão: Os Tambores Vão Tocar Na Terra de Encantaria.

     

    A campeã do carnaval de 2017 homenageou o Maranhão esse ano, os integrantes da escola destacaram a riqueza cultural do estado na avenida. A escola mostrou a culinária, lentas, músicas e belezas naturais do estado. A bossa apresentada em ritmo de reggae que é muito popular no Maranhão chamou a atenção e fez com que a escola se destacasse. A interação entre bateria e os integrantes fazendo apagões durante o desfile também ajudou muito. A escola literalmente entrou “navegando” no Anhembi, com sua grandiosa ala representando o mar e as caravelas dos portugueses. Com fantasias luxuosas, alas coreógrafas e alegorias gigantescas o segundo carro chamou grande atenção, representando um navio negreiro que deixou todos impressionados por conta de seu tamanho. 

     

    Rosas de Ouro (04h40)

    Enredo: Pelas Estradas da Vida. Sonhos e Aventuras de Um Herói Brasileiro. 

     

    Rosas de Ouro entrou na avenida para provar que samba e sertanejo podem se misturar, e muito bem por sinal, para narrar a vida dos caminhoneiros no Brasil. A sexta escola a desfilar no Anhembi teve presença da dupla de grande sucesso Maiara e Maraisa, que ajudou a puxar o samba e esteve no último carro do desfile, representando a volta de todos os caminhoneiros para casa. A rainha de bateria Ellen Roche, completou seu 11° ano com a escola. Teve bateria fantasias até de Polícia Rodoviária, e as baianas presentearam as mães dos caminhoneiros. As alas representaram desde o momento em que eles acordam até a volta para casa, abordando a relação de ausência e saudade da família. 

     

    Tom Maior (05h45)

    Enredo: O Brasil de Duas Imperatrizes: De Viena para o novo mundo, Carolina Josefa Leopoldina De Ramos, Imperatriz Leopoldinense. 

     

    Tom Maior fechou a primeira noite de carnaval em São Paulo homenageando Dona Leopoldina, uma das mulheres mais importantes para a história do Brasil e a escola de samba carioca Imperatriz Leopoldinense. 250 músicos da bateria se vestiram de Dom Pedro, com quem Leopoldina foi casada. As alas destacaram momentos históricos do Brasil, como a declaração da independência, representando Leopoldina no lugar de Dom Pedro.  No último carro a escola homenageou a escola carioca, destacando seus desfiles mais marcantes. “As roupas têm coroas, os carros têm coroas, estamos trazendo a realeza pra avenida”, contou a figurinista Fernanda Mendes.

     

    Sábado, 10

     

    O segundo e último dia de desfiles do Grupo Especial do carnaval de São Paulo foi cheio de emoções, os dois temas que sobressaíram nesta noite foram as homenagens a grandes nomes da música brasileira e as críticas a atual situação polícia do país. As escolas que se apresentaram neste segundo dia foram: X-9 Paulistana, Império de Casa Verde, Mocidade Alegre, Vai-Vai, Gaviões da Fiel, Dragões da Real e Unidos de Vila Maria. Confira os enredos e destaques de cada escola:

     

    X-9 Paulistana (22h30)

    Enredo: A Voz da Bonança e a Voz de Deus. Depois da Tempestade Vem a Bonança!

     

    A X-9 Paulistana com sua rainha de bateria Juju Salimeni abriu o segundo dia de desfiles no Anhembi, na noite de sábado (10). A escola se destacou ao dar um tom político ao seu desfile, fazendo uma crítica e ressaltando o que acontece nos dias de hoje. No carro “A casa da Mãe Joana” diversos integrantes estavam representando juízes corruptos, que aceitam propina, alguns deles tinham o terno sujo e vestiam a faixa presidencial. A madrinha da escola, Tarine Lopes, perdeu seu tapa-sexo durante o desfile, isso provavelmente será levado em consideração na hora da apuração. 

     

    Império de Casa Verde (23h45)

    Enredo: O Povo, A Nobreza Real!

     

    Esse ano a Império de Casa Verde decidiu juntar um pouco de samba e Revolução Francesa, fazendo uma crítica sobre a corrupção e desigualdade social. O seu paralelo entre o atual Brasil e a França no século 18 chamou a atenção do público. Na sua comissão de frente foi mostrado um plebeu perdendo a cabeça na guilhotina, enquanto o carro abre-alas representou todo o luxo da corte francesa, dando destaque aos seus cavalos brancos gigantes puxando a carruagem. E no último carro “Tigre guerreiro: A nobreza do povo” retratou uma festa plebeus em comemoração a vitória do povo conta toda a corrupção e injustiças sociais da época. Foi sem duvidas o desfile mais luxuoso e chamativo do dia, sua rainha de bateria Valeska Reis, ousou no look e foi alvo de comentários, enquanto Lívia Andrade, madrinha da bateria da escola, foi vestida de Maria Antonieta, rainha consorte da França. 

     

    Mocidade Alegre (00h40)

    Enredo: A Voz Marrom que Não Deixa o Samba Morrer. 

     

    A homenageada da escola esse ano foi a cantora Alcione. O desfile contou toda a trajetória da artista, o samba e fantasias citaram diversas músicas conhecidas da cantora como “Não deixe o samba morrer”, “À flor da pele”, “Delírios de amor”, entre outros sucessos. A cantora deu introdução ao grito de guerra no começo do desfile e depois ficou no carro em que foi destaque.

     

    Vai-Vai (01h45)

    Enredo: Sambar com Fé Eu Vou!

     

    E as homenagens continuam, a Vai-Vai envolveu todo o público do Anhembi com seu desfile em homenagem ao cantor Gilberto Gil, seu samba-enredo foi criado com versos do cantor, que ficou na cabeça de todos e mostrou o motivo da escola ter sido campeã 15 vezes e ser a agremiação paulista com mais troféus. O último carro chamou atenção, trazendo Gil com sua família, a mulher Flora e seu filho Bem. A cantora Grazzi Brasil foi a intérprete da escola, e quem também puxou o samba foi o cantor Belo, que fez sua estreia na escola esse ano. 

     

    Gaviões da Fiel (02h50)

    Enredo: Guarus - Na Aurora da Criação, A Profecia Tupi... Prosperidade e Paz aos Mensageiros de Rudá. 

     

    Gaviões da Fiel foi a quinta escola a desfilar, trazendo a história de Guarulhos, cidade com a segunda maior população do estado de São Paulo. As fantasias destacavam tons de dourado e prateado, ressaltando a busca por riquezas no local e também a chegada de pessoas gananciosas. Sidnei França, carnavalesco estreante na Gaviões, apresentou uma fábula protagonizada pelos índios Guarus, habitantes da região. A fantasia da rainha de bateria Sabrina Sato chamou atenção, com estrelas do mar e escamas de peixe. 

     

    Dragões da Real (03h55)

    Enredo: Minha Música, Minha Raiz. Abram a Porteira Para Essa Gente Caipira e Feliz.

     

    A Dragões da Real chamou atenção com seu milharal, cafezal, plantações de trigo, feijão, espantalhos, zangões e pardais. Esse ano a escola exaltou a música caipira e cultura do campo, e também fez uma mistura de samba com sertanejo raiz. A escola entrou com o grito "Dragões da Real, sô! Uai!", com Sérgio Reis na comissão de frente, interpretando um fazendeiro em meio a camponeses. Roberta Miranda que não podia ficar de fora dessa festa, foi destaque em um carro que mostrava a música sertaneja moderna se tornando "chique". Diversas canções sertanejas muito populares ajudaram a escola a ter um desfile realmente deslumbrante, como "Ainda ontem chorei de saudade", "Evidências", "Galopeira", "Rancho Fundo", entre outras. 

     

    Unidos de Vila Maria (05h00)

    Enredo: Aproveitam-se da Minha Nobreza, Você Não Soube, Não te Contaram? Suspeitei desde o Princípio! Não Contavam com a Minha Astúcia! Arriba Bolaños, Arriba Vila, Arriba México. 

     

    A Unidos de Vila Maria fez uma grande homenagem ao México e os personagens de "Chaves" e "Chapolin". 280 membros da bateria estavam vestidos de Chaves, e em outra ala estavam representando personagens como Dona Florindo, Seu Madruga, Quico, Dona Clotilde e Professor Girafales. A pintora Frida Kahlo e os Mariachis também foram homenageados pela escola. O México foi mostrado como “berço das civilizações maia e asteca”, diversas festividades típicas do país foram destacadas nas alegorias. Porém o comentário da noite foi sobre sua primeira porta-bandeira, que após sua saia cair sambou com uma bermuda preta, logo após com um pano amarrado à cintura, escola pode perder pontos por conta disso. 

     

    Nenhuma das escolas estourou os 65 minutos de desfile nos dois dias. Já escolheu sua favorita? A apuração das notas será realizada na próxima terça-feira (13)


    E aí, pra qual escola você está torcendo?

    Deixe seu comentário!

    Rádio Habblet
    A maior webrádio da América Latina!

    #SintonizaNaHabblet

    Informações

    Postado por Rafaella

    Notícia de 11/02 às 17:22 3 comentários Atividade
    sofs sofs Archie Hahn Hahn

    Você precisa estar logado para comentar.
    Comentários
    Essa minha amiga arrasa muito! Amei!!!!

    Por sofs em 17/02/2018 às 12:51

    Melhor jornalista, adorei a matéria. Tu arrasa demais!

    Por Archie em 12/02/2018 às 02:35

    Bacana, não curto mt carnaval, acho que não vou torcer pra nenhum kkkk

    Por Hahn em 12/02/2018 às 02:26

    Este site utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação do usuário.
    ×